Um sábado de resistências culturais e ambientais

No último sábado, dia 13 de setembro, a Comunidade Moradada Paz / Ponto de Cultura Omorodê, recebeu em seu território duas importantes atividades, uma relacionada à literatura, e outra ao cultivo de plantas nativas.

Lançamento do livro de Cidinha da Silva Racismo no Brasil

e Afetos Correlatos

O encontro aconteceu na CaSA BiO, um espaço de convivência e afeto bioconstruído, moldado com barro, palha e a energia de muitos seres que nela tocaram e por ela foram tocados, um dos símbolos da ancestralidade negra.

SONY DSC
No bate-papo descontraído, Cidinha compartilhou suas experiências enquanto escritora negra. Apresentou alguns dos seus trabalhos, entre eles histórias infantis lindamente ilustradas, e falou dos projetos futuros. Os participantes também falaram de suas experiências em relação à temática do racismo no Brasil.

SONY DSC

SONY DSC

santi

Shanti trocando seu livro com a autora Cidinha da Silva

A pequena escritora Shanti, o-madê da Comunidade Morada da Paz, autora do livro A Menina Pequi, escrito em parceria com sua mãe Kelly, falou do seu processo enquanto escritora e dos importantes momentos de aprendizado que tem vivenciado a partir do livro.

PlAnTiO coM viDa

Enquanto na Casa Bio acontecia o bate-papo com Cidinha, no pomar os pesquisadores do RODA – Rede Orientada ao Desenvolvimento da Agroecologia – Grupo Viveiros Comunitários e Grupo Uvaia, junto com a Senda Viva e a Rede de Envolvimento Solidário ComPaz, faziam o plantio de mudas nativas, na agrofloresta que está sendo implantada na Comunidade.

plantio

FOTO: Lucas Kehl

Depois de compartilhado o almoço vegetariano, aconteceu uma caminhada pela Terra Nova, com o objetivo de reconhecimento geográfico do território e planejamento da ampliação do território da Comunidade Kilombola Sustentável Ecológica Cultural Espiritual Morada da Paz.

SONY DSC

FOTO: Vania Pierozan

plantio com paz

FOTO: Lucas Kehl

Texto: Vania Pierozan

Fotos : Vania Pierozan e Lucas Kehl

Anúncios

Um comentário sobre “Um sábado de resistências culturais e ambientais

  1. Gratidão Griô pelas ações afirmativas da Comunidade Morada da Paz – COMPAZ. Certamente, os (as) ativistas sociais que desenvolvem assas ações na COMPAZ representam todos os valores civilizatórios da nossa ancestralidade africana.
    Vamos caminhar juntos!
    Prudêncio
    Mestre Griô em comunicação social, Direitos Humanos e Cidadania
    Assessor da Coordenação de Culturas Populares
    Diretoria de Cidadania e Diversidade Cultural
    Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul (SEDAC)
    Av. Borges de Medeiros nº1501 – 19º andar -CEP: 90119-900 – Porto Alegre/RS
    Fone: 3288 7520 / 8653-5662/63 (Oi); 9144-6426 / 9451-9214 (Claro)
    joao-prudencio@sedac.rs.gov.br
    grioprudencio.trocadesaberes@gmail.com
    jcaprudencio@ig.com.br
    prunucleo@yahoo.com.br
    http://www.cultura.rs.gov.br
    “Existe uma história do povo negro sem o Brasil; mas não existe uma historia do Brasil sem o povo negro”. (Januário Garcia).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s